Translate

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Eu

Um descompensado e longe de pensar em mudar e ser sisudo,  arraigado, enobrecido... tipo de rei, do nariz em pé, que só olha o próprio umbigo, mas... que não o ousa cheirar. Por não pensar muito, descobri que é do caos que saem as descobertas,...as pequenas e as grandes e, um exemplo: Não é o martelo que bate no prego. É o prego que bate no martelo. Basta olhar o martelo que fica embeiçado, quebra o cabo e  cai no pé.
Isto acontece,... de ser descompensado, por minha culpa, que sou impulsivo. Vivo a impulsão e dela extraio matéria para compor meus sonhos... que sobrevivem por impulsos! Ereções pensamentais de onde se pode ver o futuro e, como havia dito, por instantes e nada mais. Antes, quando eu caia, doía tudo: do ego ao joanete e agora não dói  e sinto até falta de idéias mirabolantes. Sinto tanta falta, que tudo o que dá certo, acaba me deixando com gosto de nada, gosto de absoluto irreparável, tão irreparável quanto àquele terno antigo que justamente na hora de ser usado mais uma vez, se é informado de que voltou à moda. Ironias! Nada mais.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário