Translate

sábado, 17 de setembro de 2011

Mercado Livre

Minhas caixas desbobinadoras de fios agora podem ser compradas no Mercado Livre. Isto vem na realidade descomplicar minhas vendas, que ora são realizadas de um modo meio antigo: "Antes da Internet".
Abraço a todos os que nos prestigiam com as "Desbobinadoras Afedim"
Link para o Mercado Livre:  http://lista.mercadolivre.com.br/fios-eletricos

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Um Velho a mais

Dia desses passado, fiz um "faxina " no meu Blog retirando comentários políticos, mas os fatos se sobrepõe. Tirou-se um ministro que foi pego com as calças na mão, - que pagava a empregada da casa dele com salário que era desembolsado pelo governo para pagar a empregada, mas que deveria trabalhar la no gabinete do ministro ou adjacências,... Mas nem tanto. O velho ministro apareceu nas fotos de jornais - na maioria das fotos, sorrindo, mostrando os dentes e daí, fiquei imaginando: Quanto esse sujeito teria armado pela vida a fora, antes de ser literalmente pego?  Outra pergunta: Seria ele melhor do que um assassino ao depenar o erário por estar lá em confiança?
No lugar onde se guarda meios de se enviar recursos para os lugares certos, mas que seguem para lugares errados, mediante propinas e maracutaias, dando penadas trêmulas de caneta viciada. Lugar em que se destinam verbas para bolsos corruptos e com certeza deixando a ver navios, crianças nas escolas mal tratadas, pessoas nas portas de hospitais, etc;... A meu ver, o sujeito desse lugar, quando faz isso é um criminoso hediondo, a meu ver, seu arsenal de balas, é a sua posição de...ministro.
O tal sujeito, - deu hoje no jornal, foi substituído por outro, com cara também sorridente bem parecida com a do outro (velhos se parecem) e a notícia o apresenta como um filiado?!? do Sarney, que é o presidente vitalício do congresso,... O tal que tem uma fazenda chamada Maranhão.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Mais um "Velho"

Relendo minha postagem sobre "Velho", percebi que o velho em questão, no caso eu mesmo, em nada é melhor do que seus "críticos" e por essa razão, adiciono outra postagem que absolutamente não tem a intensão de justificar nada, apenas, esclarecer que o velho de hoje foi o jovem de ontem, absorvido pelos seus próprios problemas, reagindo mal muitas e muitas vezes e que continua reagindo hoje, nem sempre tão bem, como seria de se esperar. A diferença é que o tempo desgasta a vaidade, grande vilão na vida do ser humano, que por sinal é construído com a pior carne do reino animal. O peido mais mal cheiroso é o peido guardado, o que não pôde ser soltado.
Escrever sobre as mazelas humanas, renderia páginas demais e não é o caso, sendo essa abordagem interessada apenas em esclarecer algumas poucas vantagens na vida do velho, cuja distância, que o separa do fim, é sempre "mirada" numa espécie de binóculo imaginário, que supostamente mostre os perigos, tais como piripaques muito previsíveis e indesejáveis. Mais jovens enxergam os velhos... Como velhos, cacos inúteis sem vigor, sem sonhos, chatos medrosos e hilários, que gostam de capitanear vidas dos outros, etc. Muitos são mesmo assim, conforme tenho assistido por ai. No meu caso, se a opinião não for pedida e entendida por mim mesmo como sincera,... Vai morrer, tendo em vista que eu já não me presto mais a falar, insistir sobre coisas que saiba ou, que imagine saber. Faz tempo isso:  - Bebendo numa birosca avisei um sujeito "que a intuição me disse" para não seguir por uma determinada viela do local, pois lá por dentro, ele especialmente, iria encontrar o próprio fim. Avisei em tom de brincadeira para preservar a minha própria vida, mas não adiantou e o sujeito se foi. Isto aconteceu, da intuição, porque ouvira falar em outra ocasião sobre o desafeto iminente. Contando esta história, deixo claro que a coisa de bisbilhotar, emitir opinião, dar conselho, não faz parte da minha ciranda e, que ao recomendar ao sujeito que não fosse pelo tal caminho, abusei da minha própria sorte, pois no mundo real, das pessoas que não se sabe nunca quem são, reagem de acordo com as circunstâncias. Portanto, ser cagüetado aleatoriamente é muito fácil e indiferente. Vivi um tempo neste lugar, porque trabalhava numa fábrica do local e por la, também tomava meus tragos depois do expediente.
Acredito hoje, que a grande conquista do homem é a fraternidade, dentro do significado espírita. Mais uma vez, não estou para convencer ninguém a nada e, apenas que eu enxergo a vida atualmente pela ótica da fraternidade, pedindo sempre para mim e por todos,... Fraternidade para todos os seres da hipótese Gaia.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Velho

Velho é objeto de olhares implacáveis por parte dos mais jovens e até mesmo desmoralizado por eles em caso de um desentendimento, como o que me aconteceu, quando um sujeitinho tenebroso quase me bateu, ou pensou que pudesse fazê-lo, sem nem ao menos considerar que eu, um velho, pudesse reagir baseado na inteligência, com algum golpe mais espetacular e, capaz de por a lona, justamente àquele que se julgava invencível para a contenda. Um velho não é considerado para nada. Não tem força física, não tem resistência, vive apreensivo com tudo e parece sempre frágil demais, necessitando cuidados para não ser derrubado. Se venceu na vida, é vencido do mesmo jeito e se não venceu,... vale sempre alguma coisa de modo geral, pela aposentadoria e bens que mantenha em seu próprio nome.  Velho, de fato, vive meio que dia por dia, usando o dia para extrair dele mais um sabor, um olhar, uma história qualquer. Velho mal consegue disfarçar a desconfiança que tem de si mesmo, mas detém certos valores. Valores na qualidade da sua própria ironia, que não deixa de mostrar aos que se julgam imunes ao tempo. Percebem o quanto correram de um lado para o outro inutilmente, o quanto perderam bebendo errado com pessoas erradas, o quanto gastaram viajando para nada, para agradar a quem jamais pensou em retribuir coisa alguma, ou sentiram paixão por alguém, investindo sentimento nisto, sem nada como resultado e de custo absurdo, se considerarmos o tempo como fator de verdadeira importância. Por perceber tudo com muito mais clareza nos dias de velhice, fica, apesar do cansaço, um sabor que funciona como troco obrigatório, para ser dado aos que mostram... Olhares implacáveis.