Translate

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Apito do navio

Navios sempre me dão calafrios, às vezes nem tanto, mas de vez em quando dão e a razão maior é o imaginário, seu alcance, a distância, o poder de conduzir pelo mar a dentro os sentimentos enclausurados,... Pelo que penso a respeito de seus marinheiros, trabalhando, conduzindo a carga, abandonando seus sentimentos em algum porto, pois entendo que sentimentos não podem ficar sempre navegando, perdidos em águas tão infinitas, grandes o suficiente para absorver, fazer sumir sentimentos, sentidos e até mesmo o razoável, a lógica de quem por tanto, se aventure. Não sei se é assim, mas tenho a nítida impressão de que é assim.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Ministro?!?

O lugar de um ministro não deveria ser um lugar, cargo desejado por ninguém, mas é e, como se sabe, muito desejado. Sendo eu um cidadão comum, sem prestígio nenhum de cargos importantes, me dou o direito hoje, de viver em paz, preocupado apenas com as coisas de um cidadão comum. Vivo esta experiência com a consciência de que nada é mais importante do que ser honesto, pronto para deixar a vida quando esta se extinguir naturalmente. Por isto mesmo é que penso ser coisa complicada, um cargo de ministro - um velho homem, ou velha mulher, tendo que decidir se rouba ou se não rouba.  Que coisa feia! Uma velha, ou um velho roubando, quando devia estar cuidando da alma, pedindo perdão a Deus - para os que acreditam em Deus. Para os outros, que acreditam em outra coisa, deviam estar pedindo alguma coisa relacionada a perdão também, menos roubando dinheiro de impostos exorbitantes que deveria ser empregado em meios de se melhorar a vida das pessoas. O argumento absurdo de que os seus precisam do fruto de uma roubalheira,  diria que pouco resolve o fruto do roubo, piorando, ao invés de melhorar, àquele netinho mal criado, de mau caráter já praticamente definido e que apenas será - aperfeiçoado por uma família que - durante um jantar troca olhares cúmplices - de roubo acobertado, nojento e sem sabor, como o alimento depositado sobre a mesa vulgar, sem amor, sem sabor, sem calor, sem... família - mais quadrilha, inodora, pronta para ser desbaratada.  Esta é a dura realidade da opção pelo roubo, que fará o resto dos seus, cúmplices, ao invés de pessoas boas, de fé em Deus, pois não se pode pedir a Deus, que ajude a roubar. Pedir até que pode, mas o resultado. O resultado é sempre o mesmo. Tais famílias, - quadrilhas, irão se dissolver e pagar tostão por tostão, todos os crimes, mortes causadas aos mais desfavorecidos. Pois é, ministro, rouba dinheiro que deveria ser aplicado em favor dos desfavorecidos. É pra isto que é posto la, como ministro e, por isto eu penso que neste lugar,... lugar, cargo de ministro, não é um lugar bom de se estar. Seria uma missão, ao invés de esnobe posição, como é visto pela imbecilidade vigente. Não estou me excluindo, de modo algum, que fui bem criado e mal exemplificado... pela vida.

Sincero demais pra não publicar


Pela vida a gente vai reparando certas coisas e um dia, certas coisas servem: Um exemplo era um vizinho cearense com quem convivi por muitos anos. O cara dava nó em pingo d'água e conseguia re-enganar continuamente suas vítimas. Andava com 5/6 canetas de cores diferentes no bolso da camisa e não sabia nem desenhar uma assinatura. Contas, fazia na cabeça... de dar inveja a um matemático. Ele era "construtor" como se intitulava e nós morávamos um tanto próximos do posto da polícia rodoviária. Com os policiais ele mantinha ótimas relações e eu, por um descuido dele, acabei descobrindo que sua carteira de motorista era de um cara parecido com ele. Cimento ela volta e meia, deixava meia dúzia de sacos rapidamente na varanda de sua casa e sumia (tinha uma camionete). A conclusão que eu cheguei depois de um bom tempo, era de que tudo nele era falso, mas seu jeito "maneiroso", piegas com os necessitados, ou negociador quando ameaçado, sempre surtia efeito junto a população, objeto de suas atividades. Diria mesmo, que o tal sujeito, sempre disposto a fazer promessas, tinha... digamos que 80% de aprovação da população local. 
Quando o nosso ptresidente entrou no governo, não pude deixar de compará-lo ao outro jeitoso... meu ex vizinho.