Translate

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Era de Aquário II

Sou mesmo um descuidado e permanente usurpador de mim mesmo. Não sei o que é era de aquário, quando começou, se começou e se já terminou ou, se não terminou. Claro que poderia muito bem e, rapidamente me informar a respeito, mas o que sei é que acho lindo, pensar numa era... de aquário. Minha simpatia pela combinação é nostálgica e presume uma evolução vinda de não sei onde, endereçada às novas criaturas, donas do futuro, de um futuro que não farei parte, mas que seja, quiça, melhor. Fazer ou não parte de tal futuro não é relevante e sequer imponderável. Estaremos presentes no futuro de um modo ou de outro, pois não tem cabimento que nossa evolução mental e espiritual, seja interrompida simplesmente, até mesmo porque nada é simples. Uma folha não é simples. Pelo contrário, a complexidade de uma folha, como se sabe, é imensa.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Era de Aquário

Eu sinceramente não entendo bem desse negócio de signos, era de aquário, etc. Entender alguma coisa envolve o estudo daquela coisa e eu, como sempre, preguiçoso, lânguido muitas vezes, outras tenaz, obsessivo por terminar um trabalho e, jogar-me para admira-lo pronto, o trabalho, estudando os resultados, extraindo deles, a essência, uma essência cabal, que projete todas as possibilidades vindas do trabalho realizado e os vetores do tal trabalho, não consigo me dedicar, por exemplo a estudar signos, a mandala, acho eu. Isto me tomaria um tempo, com certeza fascinante, mas, diferente da minha natureza de interesses. Percebo sim que saímos da era de peixes e que certa consciência nova paira sobre a humanidade, trazendo com ela, inclusive grande confusão pelas drogas, mas que entrará em declínio, suponho, para prevalecer a grande era de Aquário, anunciada, muito anunciada pelo movimento Hippie lá pelos anos 70 maravilhosos. Minha simpatia pela era de aquário é sem dúvida grande e esperada - curiosa por viver o máximo nesta era e, confirmar belezas anunciadas, uma vez que sou escravo do belo, das formas.
É preciso reparar toda uma preparação da nova era - entender que algo de diferente paira no ar, anunciado na peça Hair, seu som maravilhoso. Tudo do movimento fez parte da preparação do que está por vir e como sempre, nada é por acaso, onde por exemplo, as vidas de hoje, do momento, fazem parte de um grande ajuste humano no universo, preparação para encontro com o portal da consciência plena, onde estará liberado o funcionamento cerebral completo. Um abraço.