Translate

domingo, 1 de janeiro de 2012

2012 Final dos tempos?

Estive pensando bastante e vejam: Qualquer pessoa sabe que é muito melhor a liberdade vivida no ocidente, mesmo com todos os problemas de corrupção e tudo mais, do que viver na 'melhor' das ditaduras. Será que existe alguém - que não faça parte do comando - que possa dizer que gosta da ditadura do seu país? Talvez até exista sim, por falta da liberdade e por não ter vivido uma adaptação ao sistema democrático de viver. Adaptar-se ao que é bom é tarefa fácil e rápida, apesar de que a liberdade democrática cria também a concorrência, coisa que nas ditaduras não existe, porque tudo pertence ao estado - ao ditador de plantão. Vez por outra ouço alguém reclamando, dizendo que se fosse no tempo dos militares, as drogas não estariam dominando e tal e, fico então, pensando no quanto se engana quem não ouviu gritos de torturados. A presidente Dilma foi uma destas vítimas e o que ela passou, da para imaginar.
Olhando o mundo pelo aspecto de estar vencendo a ditadura como forma de mandar e, vendo os ditadores amedrontados pela 5ª frota americana, esbravejando arrogantes, amarrando bombas nos coitados, seus compatriotas, gesticulando poder inexistente, vejo o fim de alguma coisa mesmo, uma mudança em 2012, para melhor, para um mundo mais unificado em torno dos interesses dos povos, o que dará um aspecto mais universal a terra, em busca da sobrevivência não mais de uma nação ou outra, mas da terra.
Longe de mim apoiar americanos, mas o que acontece é que eles funcionam no mundo atual, como um atalho no combate as ditaduras, promovendo a democracia. No processo de ditaduras, se não fossem eles, o Brasil por exemplo seria uma delas e desafio quem queira discordar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário