Translate

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Lindo garoto

Amei com todas as forças aquele garoto estabanado, meio desengonçado, aprendiz da vida como ela é e, não do modo que ele acreditava ser. Hoje em dia sei que amei mesmo! Sei que sua pele, suas amarguras, ansiedades, alegrias em instantâneos passageiros, pertenciam de fato a um ser em difícil inicio de evolução espiritual, perturbado que era por todo um mundo em torno dele, estranho, descabido, não entendido. Suas vãs tentativas de aventurar-se no que quer que fosse, eram sempre atrapalhadas, sem fundamento e... invariavelmente derrotadas. A personalidade que se formava não encontrava meios de basear-se para alcançar  nenhum objetivo. Tudo era cinza em sua visão de futuro. Cinza, nublado e abafado pelo entorno, dos companheiros, parentes e enfim, dele mesmo. Naquele tempo não tinha ainda contrabando do Paraguai, mas tenho a impressão de um contrabando batizado na origem daquele garoto.
Neste clima de derrota espiritual, conheceu sua grande amada na vida. Assim acabou definindo o que sentia pelo  namoro quase clandestino, reduzido a muitos minutos de profunda admiração por um rosto angelical, indefinido, onde palavras fluíam de seus mais lindos lábios como se brotassem de uma fonte da vida, que seriam jamais esquecidas. Quis o destino que suas palavras, sua face, seus trejeitos ficassem de fato gravados para sempre. Esta foi a uma fase decisiva na vida daquele garoto que nada conseguia erguer, simplesmente por ter ficado no chão, como um avião sem asas, amando o impossível, sem  ao menos pensar em deixar de lado a visão daquele amor insano.
Imagine-se um avião sem asas. Um trambolho insano, espaçoso que na melhor das hipóteses poderia virar um bar excêntrico, fundado por algum estrangeiro louco. Sei lá o melhor definitório para esse amado garoto. Hoje em dia a idade já acabou definindo por fim sua verdadeira natureza. Nasceu para observar, olhar o mundo e imaginar... imaginar o que seria melhor para o ser humano, sem no entanto, meter-se com o ser humano do entorno, o ser pensante, perigoso, vizinho, cruel por natureza, àquele que vende misericórdia, que  não a oferece de modo gratuito.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário