Translate

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Visões


Essa noite passada tive uma visão de um grande pedaço da minha vida.
Tenho tido lapsos de visões em sonhos e também quando me ponho a pensar. Minha vida volta em visões ao passado e vi como num filme:  Vi de novo o dia em que machuquei bastante meu dedão do pé quando pulei para dar uma tapa numa placa de propaganda numa calçada da minha cidade de origem. No pulo acabei batendo o dedão numa quina da calçada e o estrago foi grande.  Isto foi o que me lembrei agora e meus filmes têm sido bem grandes.
Na minha vida, nada foi extraordinário e as vidas são assim, sem importância maior na medida em que não avançamos em relação a DEUS.  Vivemos num tempo em que o melhor é o mais caro. Mais caro é que tem valor e a simplicidade virou sinônimo de fracasso. Nesse tempo não é mais preciso DEUS. DEUS é coisa do passado, ultrapassado e agora tudo se pode produzir, comprar e vender. Não interessa ao futuro da humanidade, nada que não seja prazer e conforto. Não interessa pensar e não interessa a invisibilidade imediata de DEUS. As TVs, de telas cada vez maiores ensinam as melhores  traições e libertinagens além de qualquer imaginação e por fim, concluo que a palavra libertinagem já é ultrapassada, pois o sexo em prodígios, agora depende de instrumentos modernos de locomoção e comunicação.
Como entender que não há nada de extraordinário nestas vidas tão modernas? É simples: Entrega a DEUS a sua vida e passe a estudar a Palavra de DEUS. A Bíblia é o nosso primeiro refúgio contra o mau.  
O mundo transformou-se numa máquina descomunal dirigida pelo poder do capital e segue numa velocidade imensa em direção ao fim do estoque. Países do oriente produtores de petróleo estão com seus estoques praticamente esgotados e seus povos, em revolta invadem a Europa, ainda de modo ‘pacificado’. Mais: O meio ambiente não permite mais o aumento sistemático da temperatura global e... Em que pensar? Pensar que vamos indo bem? Pensar que vamos controlar a temperatura? Ah! Algumas pessoas pensam logo em ar condicionado nas suas casas, como se o assunto fosse de tão pequena importância. É o medo, o pavor do Apocalipse. Intuitivamente sabemos que o nosso fim, não é simplesmente a nossa morte. O nosso fim ainda será continuado e isto povoa a cabeça mais perversa. Povoa todas as cabeças da humanidade, porque quanto menos sabemos a respeito de DEUS e o Seu verdadeiro poder, mais em dúvida ficam os aflitos desconfortados em suas vidas ocas,... Sem propósito.

Os amigos que “tenho”, são muito mais amigos de seus bens materiais do que qualquer outra coisa e desafio a qualquer um deles a me provar ao contrário. Mal sabem eles que não é preciso montar uma banqueta numa esquina e sair doando o que têm, porém nessa mesma banqueta, meus amigos poderiam sim enriquecer para sempre, se ao contrário de doar, pedissem para si o conforto de DEUS. A humildade é um dos segredos desse negócio. Pedir, para eles, os meus amigos, atinge em cheio o seu orgulho, sua invulnerável situação financeira e isto é impossível para eles, mesmo sabendo o que lhes espera diante de DEUS. Julgo que ficar rico é uma condenação e talvez o maior desafio do ser humano. Melhor é ter um provento que nos conforte e desdobrar o conhecimento que chega em ondas, nas leituras e palestras. O rico, que olha de um envidraçado qualquer o miserável passar vira a face ‘ofendido’ porque o seu campo de visão foi contaminado pela passagem daquele. O rico, por essas e outras razões acaba investindo em seu próprio campo de visão, com muros altos e soberbos para simplesmente manter o mais longe possível, àquele que o ameaça com a grande realidade humana. Qual é essa grande realidade humana? É o caminho na direção de DEUS. O caminho é um caminho maravilhoso de se trilhar, porém requer amar a DEUS, seguir Seus preceitos e ordens contra o mau.